24/01/2016 – Rompendo limites nas esferas espirituais
Por Comunicação BNA | 397 Visualizações | 26/01/16

1716-1Sem. 24/01 a 30/01/16
Jonas 3:3-9

Nesse texto vemos o rei convocando o povo para um tempo de consagração, pois reconheceu que a sua cidade estava em uma situação desesperadora, onde precisavam romper os limites nas esferas espirituais. Hoje, como igreja estamos sendo convocados neste período de “REFORMA”, a entrar em um nível mais profundo de experiências espirituais com o nosso Deus.

Jejum – No grego: “abster-se de comer voluntariamente como um exercício religioso, particular ou público, ou causado pela falta de comida ou ainda pela pobreza”. No dicionário: Jejum é a abstinência total ou parcial de alimentos sólidos ou líquidos, sendo uma prática cultual em várias religiões.

O jejum nos revela as coisas que nos controlam (comida, bebida, internet, hobbies, amigos; ou sentimentos como: raiva, medo, orgulho, amargura, avareza…).

Oração – Trata-se de um ato religioso no qual o homem procura manter uma ligação com Deus através da súplica, da ação de graças, do louvor, da adoração, entre outros propósitos. Ela pode ser feita de forma individual ou em grupo, no público ou privado.

A oração secreta, fervorosa e confiante está na raiz de toda santidade pessoal. (William Carey). Essa frase nos leva a refletir, que a oração gera comunhão com Deus e a comunhão gera mudança de vida. A intimidade com Deus nos levará a um nível mais profundo com Ele, quando nos aproximamos de Deus ele nos revela os segredos do nosso coração que precisam ser tratados, mudado.

Precisamos entender que a pratica do jejum e oração:

Não deve ser:

– Barganha (troca de moedas): Fazer uso das coisas sagradas para benefício próprio é sinal de falsa religião. É forte a tentação de utilizarmos algo como jejum e oração para conseguir que Deus faça aquilo que desejamos! Às vezes, a ênfase está nas bênçãos e nos benefícios.  “Basta um jejum e uma oração termos o mundo e o próprio Deus comendo em nossa mão”. O nosso coração precisa ter a motivação correta, Deus precisa estar no centro e não nós, o nosso “EU”, Ele precisa estar conosco do inicio ao fim.

Deve ser:

– Para experimentar o poder de Deus no ministério e na vida pessoal (Mt 17:21): Existem situações em nossas vidas que não conseguimos romper, por mais que lutamos contra tal, ela sempre se repete, e tais situações só conseguiremos vencer com jejum e oração (vida financeira, crescimento das células, unidade e comunhão).

Para que se cumpram os propósitos de Deus em nossa vida, igreja e cidade (Dn 9:1 – 3):  Antes que fossemos formados, Deus já havia definido o propósito dEle em nossa vida, mas para que esse propósito se cumpra nós precisamos alinhar as nossas vidas à Sua vontade. Por isso as disciplinas espirituais como o jejum e a oração são importantes para nos aproximar de Deus e conhece-lo e assim também conhecer os seus proposito para nossa vida.

Conclusão: O jejum e a oração podem romper limites na esfera espiritual, algo que jamais aconteceria por outro caminho. É um meio da graça e da bênção de Deus que não devemos continuar negligenciando. Rasguem o coração e não as vestes.
“E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes” (Joel 2:13).
 

Juliano Oliveira e Rebecca Crisley
2016 “Ano da Reforma”

www.bna12.com.br

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

 Top